Recomendamos Resolução de no mínimo 1024x768 pixels para melhor visualização.
 
Taco de Sinuca
O Taco de Sinuca

W. Denis Martins


A exemplo da maioria (senão de todos) os esportes, o uso do equipamento correto e de qualidade é fundamental para o desenvolvimento e crescimento técnico do jogador de sinuca. Para a prática de qualquer das modalidades de bilhar, em nosso meio, como a Sinuca, a Bola Oito e a Bola 9 (esta ainda em pequena escala), pode-se falar em qualidade das mesas, das bolas e dos tacos.

Mesas e bolas estão a cargo dos Clubes e Salões. Em nosso meio, no Paraná, pode-se dizer que estamos muito bem servidos, pois clubes como o Circulo, Santa Mônica, Curitibano, Thalia (de Curitiba) e vários do Interior (como Guaíra, de Guarapuava, Verde, de Ponta Grossa, Pinheiros, de Pato Branco, Comercial e Tuiuti, de Cascavel) cuidam com muito carinho das instalações postas à disposição dos sinuqueiros.

Já o taco apresenta-se como o componente mais crítico e visto com o maior cuidado e carinho pelo atleta. O verdadeiro sinuqueiro trata o seu taco com tal cuidado que parece até exagerado aos olhos de quem não faz parte da comunidade. O taco ideal, uma vez encontrado, é único; mesmo que a outros possa parecer um “galho verde”, para o seu proprietário trata-se de “o meu taco”. O sinuqueiro não gosta de emprestá-lo (fora de cogitação!), guarda-o com carinho entre as partidas e os treinos, e dificilmente o perde de vista nos ambientes de competição, em torneios e campeonatos.

Stephen Hendry, penta-campeão mundial de Snooker, relata em seu livro que certa vez teve seu taco “de fé” furtado em um hotel, quando disputava uma etapa do milionário circuito profissional de sinuca. Imediatamente seu manager (os profissionais britânicos têm, além do técnico, um gerente de carreira, que o acompanha em todos os torneios) ofereceu recompensa de 10 mil libras por informação ou devolução do precioso taco do campeão. Não deu outra: negociações anônimas foram feitas e Hendry recuperou seu taco a tempo de vencer mais um torneio, no qual embolsou aproximadamente 200 mil libras...

Falando nos profissionais da sinuca internacional, todos estão enfrentando um sério problema com o transporte de seus tacos, uma vez que viajam o tempo todo no circuito profissional mundial. Após o atentado terrorista de 11 de setembro, as companhias aéreas não permitem o transporte de tacos como bagagem de mão, no interior dos aviões (nem mesmo dos campeões de sinuca). Assim, os tacos vão para os compartimentos de bagagem, disputando espaço com pesadas malas. Mesmo bem embalados, em caixas e tubos de alumínios, vários tacos de profissionais como Steve Davies, Griffiths e Ronnie Sullivan já foram danificados, muitas vezes de tal maneira que nem o melhor profissional (cue doctor, como chamam os ingleses) conseguiu dar um jeito.

Alguns tópicos interessantes a respeito de tacos (cues em Inglês):

    * Os tacos de sinuca ingleses são feitos, tradicionalmente, com as madeiras ash (freixo) (canadense e americano) ou marfim para as hastes, ou corpo do taco, e de ébano ou roseira, madeiras de lei, para a parte posterior, mais pesada. O freixo e o marfim apresentam as qualidades de leveza, dureza, resistência e estabilidade requeridas para a haste. O ébano, a caríssima madeira nobre preta africana, é a preferida, dando ao taco o necessário equilíbrio. Geralmente, os tacos ingleses apresentam os cabos com o garfado clássico nestas duas madeiras. Diversas outras madeiras nobres são utilizadas para diversos desenhos no cabo dos tacos, geralmente encarecendo as peças. Quanto mais elaborados os desenhos, mais caros os tacos. No Brasil, temos ainda uma excelente madeira, o goiabão, que reúne qualidades intermediárias entre o marfim e o freixo.

    * O peso dos tacos varia entre 280 g (leves) a 650 gramas (pesados), sendo que os tradicionais tacos ingleses pesam em torno de 18-19 onças (500 a 560 g). No Brasil, é notória a preferência dos jogadores pelos tacos leves ou de peso médio. Gradualmente, entretanto, tacos importados estão sendo introduzidos em nosso meio, sendo que diversos jogadores já possuem peças de origem inglesa (sem dúvida, os melhores do mundo, pela tradição dos fabricantes, acostumados a fornecer tacos aos melhores jogadores do mundo).

    * Atualmente, os tacos de sinuca mais conceituados do mundo são os fabricados pelo inglês John Parris, sendo que aproximadamente 80% dos 100 melhores jogadores do mundo utilizam este equipamento. Bastante conceituados também são os tacos Peradon, o mais antigo fabricante de tacos ainda em atividade (desde 1895). Outros conceituados tacos são os da Mastercue (Tailândia), O`Min (Taiwan), Burroughs and Watt (hoje já artigos de colecionador), Cuecraft (inglês), Craftsman (inglês), Andrew Gibbs (inglês), Mastercraft (inglês). Os preços dos tacos variam conforme vários fatores: feitos à mão ou com máquina; número de garfados, desenhos e tipos de madeiras nobres aplicadas. Qualidade das hastes, sendo que as melhores peças de ash (freixo) são utilizadas nos tacos mais caros.

    * Os preços dos tacos de alto padrão (para a sinuca de competição, e não apenas para uso recreativo) variam de 100 libras (380 reais) até os mais caros de John Parris e outros fabricantes exclusivos (que podem atingir 600-700 libras).

    * A maior parte dos profissionais de elite utiliza solas Máster, Le Pro e Blue Diamond, com preferência para esta última. Os profissionais internacionais preferem tacos medindo 1,47 m. Os atletas brasileiros preferem tradicionalmente tacos mais longos, com 1,52 m até 1,60 m.

    * Em Curitiba, temos um extraordinário artesão fabricante de tacos de primeiríssima qualidade, o João Rossini. Autodidata, o “Seu João”, como é conhecido pelo povo da sinuca, começou fabricando tacos simples, por diletantismo, e hoje desenvolve magníficas peças, sofisticadas, elaboradas, que não deixam nada a desejar aos fabricantes ingleses. Há poucos sinuqueiros paranaenses que não tenham ainda um taco fabricado pelo “Seu João”, que inclusive criou e fabricou equipamentos especiais (tornos) inéditos para o fabrico de tacos. Com certeza vale a pena conhecer o Seu João, lá no Xaxim.

    * Outras modalidades de bilhar, o Nine Ball e a Bola Oito utilizam tacos especiais, para atender as características de cada uma. Assim, os tacos de Nine Ball são bem mais pesados que os de sinuca (600 a 800 g), com solas entre 12 a 14 mm. Isto se justifica pelo tamanho maior das bolas (55 mm). Igualmente, os tacos mais caros do mundo do bilhar são os de Nine Ball. São tacos ricamente ornamentados e extremamente bem acabados, que podem atingir preços de 3 a 5 mil dólares. Uma das marcas mais famosas é a do famoso taco Balabushka, imortalizado no filme A Cor do Dinheiro, com Paul Newmann interpretando um profissional de Nine Ball nos EUA.

    * Curiosidade a respeito da modalidade Bola Oito, tão a gosto de nós, brasileiros, é que o no jogo original, internacional, utilizam-se as 15 bolas numeradas menores ainda do que as do snooker inglês. Portanto, os tacos indicados para a Bola Oito inglesa são mais curtos (1,40/1,42 m) (as mesas também são menores) e têm ponta (sola) de 8,5 mm. No Brasil, porém, não é comum o uso destas bolas menores, como sabemos. Jogamos com o tradicional jogo de bolas de bilhar e os mesmos tacos usados na sinuca.

    * Vale acrescentar uma observação sobre o acabamento e manutenção de nossos preciosos tacos. Os mais importantes fabricantes finalizam os tacos com aplicação de óleo de linhaça, após a última lixa de grão fino. Após 12 horas da aplicação do óleo, aplica-se cera para madeira, de excelente qualidade. Assim é obtida a textura aveludada e macia, tão apreciada pelos sinuqueiros. Verniz, jamais. Este processo pode ser renovado cada 6 meses. Não é aconselhável lixar o taco, em qualquer oportunidade, pois pode ocorrer o desgaste e conseqüente desequilíbrio da haste.